Vacina não causou reação em criança de Lençóis Paulista, diz Governo de SP

O Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo disse, nesta quinta-feira (20), que a vacina contra Covid-19 não causou parada cardíaca em criança de 10 anos, em Lençóis Paulista.

A investigação foi feita por mais de dez especialistas e apontou que a criança possuía uma doença congênita rara, desconhecida até então pela família, que desencadeou o quadro clínico. “Não existe relação causal entre a vacinação e quadro clínico apresentado”, afirma o órgão em nota.

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo reforçou ainda a importância da vacinação e reafirmou “que todos os imunizantes aprovados pela Anvisa são seguros e eficazes”.

A farmacêutica Pfizer, fabricante do imunizante contra a Covid, informa que assim que teve conhecimento do caso, foi submetido um relato de potencial evento adverso para a área de farmacovigilância, conforme procedimento da empresa.

A companhia informou, no entanto, que já distribuiu mais de 2.6 bilhões de doses da vacina em 166 países e não há alertas de segurança graves relacionados ao imunizante.

Campanha de vacinação havia sido paralisada

Uma criança apresentou alterações em batimentos cardíacos. Segundo relatos dos pais, chegou a desmaiar 12 horas após a aplicação da vacina. Ela foi levada à rede de saúde particular para atendimento, em Botucatu, onde permanece estável e sob observação, de acordo com a família.

O fato levou a Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista a suspender a campanha de vacinação de crianças por sete dias no município a partir da última quarta-feira (19). No entanto, pais ou responsáveis da cidade ainda podem ligar na Central de Saúde e realizar agendamento caso queiram vacinar as crianças nesse período.

O Comitê de Enfrentamento à Covid-19 de Lençóis Paulista ainda ressaltou que “não existe dúvida sobre a importância da vacinação infantil” e que o prazo foi dado para acompanhar e monitorar as 46 crianças lençoenses vacinadas até o momento.

Cnn

Fábio Faria processa Ernesto Araújo por calúnia, injúria e difamação

O ministro das Comunicações Fabio Farias acaba de fazer uma Queixa-crime contra o Ex Ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) por criticar na segunda-feira a aliança do presidente Jair Bolsonaro com partidos do Centrão.

O ex-chanceler reforçou as críticas a Nogueira, Arruda e principalmente a Fábio Faria, dizendo que ele “entregou o 5G para a China”, e disse que é preciso saber se os eleitores de Bolsonaro “topam isso”.

Em resposta Fabio Farias fez um B.O contra Ernesto, que avaliado pelos Bolsonarista como totalmente desnecessário, veja a postagem:

VEREADOR NALDO FEITOSA: ”AS UPA TEM QUE TA LOTADO MESMO”

O vereador Naldo Feitosa em entrevista desta terça-feira (18), na Rádio Cidadania 98FM, parecia está “aluado” não respondia coisa com coisa, não entendeu a pergunta simples que o apresentador perguntou, por exemplo; como o vereador que contribuir para Mossoró.

O vereador não soube responder nem quem era ele quando o apresentador perguntou.

A única coisa que o vereador Naldo soube fazer, foi bajular o prefeito Allyson e dizer que apoiará os candidatos do Prefeito ao pleito desse ano. E para encerrar as pérolas Ao perguntado sobre a saúde Naldo solto essa ”o que tem que tá! Lotado é a UPA mesmo, não me admiro uma UPA está lotada, isso ai não me admiro, eu admirava se um bar tivesse lotado” disse Naldo para o desgosto dos ouvintes.

BANDIDOS INVADEM CASA DO PREFEITO DE PUREZA RN

Bandidos estava agora pouco na casa de Praia do Prefeito de Pureza, Neto Moura.

O imóvel que fica localizado na Praia de Caraúbas, em Maxaranguape e é utilizada há décadas pelo Prefeito e sua família como residência de verão.

Mais informações em instantes…

Jogador do Potiguar é Desligado do clube após agredir próprio companheiro de equipe

O jogo no estádio Frasqueirão desta quarta-feira (19), foi bastante movimentado, o time da casa ABC venceu por 3 a 0 Potiguar de Mossoró e de cabeça quente jogadores do próprio clube do Potiguar Resolveram trocar tapas.

O jogador Jefinho que começou as agressões contou com ajuda do seu irmão que estava fora do estádio.

Veja a nota do Potiguar:

A Associação Cultural e Desportiva Potiguar comunica o desligamento do jogador Jefinho. A decisão foi em conjunto, envolvendo a comissão técnica e diretoria executiva do clube.

O motivo do desligamento foi devido ao fato, ocorrido após o fim da partida, na porta do vestiario, no qual o jogador e o seu irmão, que se encontrava fora do estádio Frasqueirão, agrediram o atacante Wilker. O fato gerou um grande mal estar entre os integrantes da delegação. 

O Potiguar jamais aceitará atos de agressão e covardia, bem como tomará as providências trabalhistas em relação ao caso.

Girão revela que tomou duas doses da AstraZeneca e reconhece fracasso em tentativas de derrubar o passaporte da vacina

Em nota divulgada nesta quarta-feira (19), o deputado federal General Girão (PSL/RN) voltou a defender a não obrigatoriedade das vacinas conta a Covid-19.

O político revelou que tomou duas doses da vacina AstraZeneca, “sob recomendação médica”, e reconhece que ele e todos que lutam contra o passaporte da vacina fracassaram na justiça até agora.

Confira a nota na íntegra abaixo:

Posição oficial quanto à obrigatoriedade da Vacina

Em relação à situação atual de enfrentamento ao COVID 19, e considerando os inúmeros pedidos e mensagens que tenho recebido, quero lhes dizer que SOU A FAVOR DA VACINAÇÃO para o enfrentamento da pandemia. Eu mesmo, fiz sob recomendação médica, as duas doses da Vacina de Oxford.

Entretanto, quanto à obrigatoriedade da aplicação das mesmas, sou pelo Direito à Liberdade, inclusive tenho atuado fortemente em Projetos de Lei contra a obrigatoriedade do passaporte vacinal, bem como em Fórum e Debates sobre o assunto, além de protocolar representações e manifestos perante os órgãos responsáveis para adoção de medidas cabíveis, que garantam a liberdade de escolher tomar ou não a vacina. Até agora, apesar dos sólidos argumentos jurídicos pela inconstitucionalidade e ilegalidade da imposição do Passaporte Vacinal, tanto considerando o Ordenamento Jurídico Brasileiro, quanto os Tratados Internacionais  que são  totalmente aplicáveis à situação da vacina, pelo pouco tempo de desenvolvimento da mesma. Apesar de todos os argumentos apresentados, todas as ações propostas no Judiciário, até agora, em nenhuma foi concedida medida de urgência (liminar ou tutela antecipada) para suspender o passaporte sanitário. No RN já estão sendo ajuizadas incontáveis ações, com nenhum resultado positivo, até agora. Inclusive a ação proposta pela Dep. Carla Zambelli em São Paulo também não teve uma resposta favorável. Mas todas essas ações estão tramitando, e pode ser que haja, na análise do mérito, em primeira instância ou em grau de recurso, precedentes onde o direito à liberdade prevaleça, a exigência de lei para regular a matéria seja imposta como determina a Constituição (jamais a saúde das pessoas e a restrição à liberdade poderia ser regulada através da vontade unilateral de um governador ou prefeito manifesta em um decreto, sem que houvesse aprovação pelo legislativo). Somamos à essa argumentação, o princípio jurídico da precaução, que deveria ser aplicado diante da insegurança individual quanto a vacina. O tempo de desenvolvimento da mesma, aliado a possíveis efeitos colaterais / reações adversas, natural de todos os medicamentos, nos sugere cautela em nome da saúde das pessoas, também.

Finalizo afirmando que, devemos deixar os médicos cumprirem o seu papel profissional para que esse enfrentamento ao COVID seja técnico e não político.

Dep. Federal Gen Girão